Lomadee
Escrito por Lomadee

Relatório Webshoppers 2015

De uma iniciativa vinda do Buscapé Company junto da E-Bit foi criado o Relatório Webshoppers, relatório mais sólido e respeitado sobre o comércio eletrônico que analisa a evolução do e-commerce, tendências, estimativas, mudanças de comportamento e preferências dos e-consumidores. De forma geral, o documento indica para onde vai o mercado, contribuindo para o entendimento e desenvolvimento do setor.

Com edições semestrais, o relatório serve como um guia para os profissionais e interessados no comércio eletrônico. Para o público que trabalha especialmente com marketing de afiliados, este é o momento para conhecer mais sobre as categorias de produtos que mais estão lucrando e assim adequar as suas estratégias de divulgação.

Abaixo, separamos os tópicos mais relevantes para o nosso público do Webshoppers referente ao 1° semestre de 2015. Confira.

“Os dados indicam que mais da metade da população brasileira está conectada, sendo um enorme avanço para o país, pois as pessoas começam a ter cada vez mais acesso rápido a todo o tipo de informação e o meio vai se tornando uma importante ferramenta de democratização.” – Juliana Sawaia, diretora de Learning & Insights do IBOPE Media

As vendas no comércio eletrônico em 2015, no Brasil, mantiveram a ascensão e apresentaram novamente crescimento. Segundo dados coletados, o faturamento do comércio eletrônico foi de R$18,6 bilhões. O número representa um crescimento nominal de 16% em relação a 2014, quando se vendeu um total de R$16,1 bilhões.

Os principais fatores que impulsionaram o crescimento do faturamento no e-commerce brasileiro estão relacionados, principalmente, com o aumento do tíquete médio, puxado pela pequena alta nos preços de produtos na Internet, além do maior volume de vendas para categorias de maior valor como, por exemplo, Eletrodomésticos e Telefonia/Celulares.

“Apesar da pequena desaceleração neste 1° semestre de 2015 se comparado com os últimos anos, o e-commerce ainda continua crescendo a taxas muito mais elevadas que o PIB brasileiro e duas vezes mais que o varejo tradicional. Esse ritmo não vai parar, porque os brasileiros já entendem que a internet é o lugar para encontrar os melhores produtos e com preços que geralmente são bem menores que nas lojas físicas.” – Rodrigo Borer, CEO do Buscapé Company

 

Para fazer o download do relatório completo Webshoppers do 1° semestre de 2015, clique aqui.